Internet fixa no Brasil merece respeito. Londrina exige isso

Os brasileiros estão mais vigilantes contra a corrupção e injustiça. Políticos e grandes empresas sempre exploraram a nossa sociedade. Após a operação Lava-Jato ter revelado grandes esquemas de corrupção, manifestações contrárias ou favoráveis ao governo Dilma, os brasileiros estão exigentes em defesa dos direitos.

Autor da campanha Londrina Contra Internet Limitada


Foto do jornalista Paulo Sebin - Internet fixa no Brasil merece respeito
Sou Paulo Augusto Sebin, em 2009 me formei em jornalismo. No ano seguinte comecei a trabalhar em uma agência de marketing digital, e desde então me especializei em marketing e a internet é a minha principal ferramenta de trabalho. Milhões de brasileiros dependem da internet para trabalhar. Outros milhões usam a internet com frequência para pesquisar produtos, serviços, conteúdos e informações.

Em fevereiro de 2016 recebi a notícia de que as empresas de telefonia e internet no Brasil iriam trabalhar com franquias de dados para a internet fixa, política igual ao que ocorre com acessos móveis. Caso atingisse a cota contratada, a conexão poderia ser até bloqueada. Acompanhei com muita aflição. A internet fixa no Brasil ficaria mais cara e teríamos que controlar como usamos a internet. A coisa mais triste nessa história toda é saber que a ANATEL não defendeu os interesses dos consumidores e apoiou as empresas que visam lucros abusivos.

Londrina Contra a Internet Limitada


Londrina contra Internet Limitada

Apesar de indas e vindas sobre o assunto, resolvi não me calar. Estou indignado em saber que as empresas querem ferir o direito básico de nós, brasileiros, termos internet de qualidade, conforme previsto pelo Marco Civil da Internet. É um absurdo não poder assistir livremente vídeos com palestras, aulas, cursos, e tantos outros conteúdos. Inadmissível pagar mais por uma internet que já é de baixa qualidade.

Objetivos do Abaixo-Assinado

Enviar proposta de alteração da lei 12695 ao Senado

A proposta é inserir o seguinte inciso no artigo 7º na lei 12965 - Marco Civil da Internet.

§ 1º É responsabilidade dos provedores de conexão à internet e ao Estado garantir qualidade e ampliação da capacidade necessária das redes de telecomunicação, em acordo com a Lei 13116, Capítulo I - Disposições Gerais, Artigo 2º item III.

§ 2º Não suspensão ou limitação de dados da conexão à internet sob alegação de políticas de controle de tráfego, salvo por decorrência de problemas técnicos, tendo os provedores de conexão à internet a responsabilidade de manter consumidores informados.

Enviar o abaixo-assinado para instituições fiscalizadoras, como Ministério Público (Paraná e Federal) e OAB de Londrina;

Pressionar os políticos com a opinião pública, por meio de divulgações à imprensa;

Registrar que Londrina tem uma grande quantidade de pessoas contrárias às limitações de internet fixa no Brasil;

0 comentários:

Postar um comentário