terça-feira, 7 de março de 2017

Banda larga fixa no Brasil cresce. Boa ou má notícia?

Ilustração sobre internet fixa no Brasil
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou na segunda-feira (06/03/2017) um balanço inicial sobre os principais serviços de telecomunicações no país. A banda larga fixa aumentou 0,5% em janeiro, na comparação com dezembro de 2016. Em contrapartida, a telefonia móvel e de TV paga começaram mal o ano de 2017, com queda na oferta de serviços.

A banda larga fixa no Brasil ganhou 34,7 mil novos assinantes em janeiro, chegando a um total de  26,76 milhões de contratantes. E esse crescimento é apenas uma continuação do cenário positivo, sendo o único serviço de telecomunicação que registrou crescimento em 2016.


O crescimento da banda larga fixa no Brasil é uma boa notícia?


Depende de quem analisa. Isso talvez explique por que as operadores de internet no país desejam tanto impor franquias limitadas de dados. Logicamente que a demanda da internet fixa em crescimento, impor limite de dados poderia aumentar muito os lucros dessas empresas, que usam a justificativa da infraestrutura e da suposta melhoria na qualidade do serviço para vender a ideia da internet limitada.

Esse cenário também demonstra que os brasileiros estão fugindo dos planos de internet móveis por várias razões.

  1. Planos móveis não são baratos.
  2. A qualidade é péssima, temos tecnologia 4G que equivale a 2G se compararmos com serviços de outros países.

Dentro da lógica de mercado, igualar franquias entre dispositivos móveis e internet fixa evitaria concorrência entre elas.


VIVO foi a única das grandes operadoras a registrar queda


A operadora que deu o ponta-pé inicial sobre a ideia de aplicar franquias limitadas para a internet fixa, com a benção da ANATEL no governo Dilma, foi a única operadora que registrou queda na oferta do serviço.

O relatório da ANATEL apontou que a TIM liderou o crescimento do setor em janeiro de 2017 em comparação com dezembro de 2016, aumento de 1,88%, seguido pela Claro com 0,23% e Oi com 0,11%. Já a VIVO teve queda de 0,06%.

Empresas devem aproveitar o cenário para investir em qualidade

Ao invés de tentarem usar uma prática que desrespeita o Marco Civil da Internet, as operadoras deveriam se preocupar em oferecer melhor qualidade, investindo em infraestrutura, não simplesmente prejudicar os consumidores. Se a procura por banda larga fixa continuar, essa pode ser a melhor oportunidade para que o país ofereça serviço de melhor qualidade, alta competitividade.

0 comentários:

Postar um comentário